Perinereis anderssoni Kinberg, 1866

 

Descrição. Animais vivos com coloração verde-oliva na região dorsal e pardo-avermelhada nas laterais; vaso dorsal visível por transparência. Em animais fixados, o corpo apresenta-se com tom pardo avermelhado, esmaecido nas laterais; o sistema de vasos sanguíneos mostra-se semelhante a impressões digitais nas bordas latero-dorsais dos segmentos ao longo de todo o corpo. Cirros peristomiais curtos. Probóscide com paragnatas em todas as áreas, muito mais desenvolvidas no anel oral; mandíbulas marrom-escuro, com cerca de 8 dentes. Apresentam na área VI paragnatas em barra transversal alongada, e nas demais áreas paragnatas cônicas. Notopódios mais desenvolvidos que neuropódios, com lígulas superiores e lobos setígeros cônico-afilados. Cirros dorsais sempre mais longos que as lígulas notopodiais ao longo de todo o corpo. Lobos setígeros neuropodiais arredondados; lígulas neuropodiais cônicas e afiladas. Lígulas notopodiais muito desenvolvidas em parapódios posteriores, com os cirros dorsais inseridos próximo às extremidades distais prolongadas como pequenos lobos triangulares. Notocerdas espinígeras homogonfas serrilhadas. Neurocerdas do feixe supra-acicular espinígeras homogonfas serrilhadas e falcígeras heterogonfas, muito volumosas, com serrilhado na área desenvolvida, com um par de uritos. basal do artículo terminal; neurocerdas do feixe sub-acicular falcígeras heterogonfas serrilhadas, de tamanho normal, acompanhadas de uma ou poucas espinígeras heterogonfas serrilhadas. Acículos negros. Roseta pigidial bem desenvolvida, com um par de uritos.

Fotos.

Vista geral
Parapódios
Vista dorsal da probóscide
Vista ventral da probóscide
Vista ventral do prostômio

 

Distribuição. Costa atlântica norte e sul-americana, em águas tropicais e sub-tropicias.

 

Ocorrência. Em costões rochosos, na região entre-marés, sob tufos de algas.


Mapa de distribuição
Lista das famílias